Tinta da China Portugal
[Autores]
Antero de Quental
Antero de Quental (1842-1891), açoriano natural de Ponta Delgada, é uma das principais referências da cultura portuguesa e o símbolo máximo da brilhante “Geração de 70” – movimento intelectual iniciado na década de 1870, que revolucionou a literatura e a política portuguesas. Prosador brilhante, poeta genial, é ainda um autor obrigatório no ensaísmo filosófico e literário, na política militante, no jornalismo ou na literatura panfletista.
“Na prosa musical de Antero, polêmica e crítica, de uma grande limpidez formal”, viu Manuel Bandeira o início da moderna prosa lusa. Todavia, o interesse doentio pela sua morte (suicidou-se na sua terra natal com dois tiros na cabeça) e também pela vida – que a devoção dos amigos transformou em fantasiosa biografia – tem relegado para segundo plano o conhecimento profundo da sua obra. Aquilo que verdadeiramente importa em Antero são a prosa e os versos que nos deixou.
Causas da decadência dos povos peninsulares
© 2007-2018 Edições tinta-da-china
powered by informira.com