Inicio\GRANTA PortugalTinta da China Brasil\
ENTRAR
ITENS: 0
TOTAL: €0
[CESTO VAZIO]
subscrever NEWSLETTER
  • livros /
  • OS BIN LADENS

OS BIN LADENS

Uma Família Árabe no Século Americano

Steve Coll
  • €22.04
  • €31.49
Uma investigação de fôlego, feita por um autor galardoado com dois prémios Pulitzer, que desvenda a história do poderoso clã árabe que sempre procurou ocultar-se dos «media».

Depois do 11 de Setembro, tornou-se lugar-comum situar as raízes do radicalismo de Ossama bin Laden no revivalismo político islâmico que varreu o Médio Oriente após 1979 e também na sua intervenção durante a guerra afegã anti-soviética. Mas não devemos subvalorizar a influência que o relacionamento entre Ossama, a sua família e o seu país exerceu sobre ele. Foi esta esfera privada que os Bin Ladens e a família real saudita procuraram manter tão longe dos «media» quanto possível.
Ossama e os seus 53 irmãos herdaram uma fortuna considerável, mas nasceram numa sociedade pobre onde não existiam escolas públicas nem universidades, onde os papéis sociais eram rígidos, onde a religião dominava a vida pública e intelectual.
A saga dos Bin Ladens mostra como o contexto social e cultural desta família sofreu profundas alterações. Os Bin Ladens alcançaram enorme riqueza e poder e tornaram-se peças-chave na criação da aliança entre os Estados Unidos e a Arábia Saudita durante a era do petróleo.
Até Ossama se assumir como terrorista internacional, a sua família investia muito mais nos Estados Unidos do que geralmente se pensa — os seus irmãos eram proprietários de centros comerciais, propriedades de luxo e prisões, acções de empresas cotadas em bolsa, um aeroporto e muito mais. Estudavam em universidades norte-americanas, tinham relações de amizade e de negócios com cidadãos americanos e procuravam obter passaportes americanos para os seus filhos. Financiavam filmes produzidos em Hollywood, negociavam puros-sangues com o cantor de música «country» Kenny Rogers e tinham negócios com Donald Trump. Consideravam George Bush, Jimmy Carter e o príncipe Carlos de Inglaterra como amigos da família. Tanto num sentido literal como cultural, a família Bin Laden era dona de uma fatia impressionante dos Estados Unidos a que Ossama declarou guerra.

«Segundo Coll, para agradar ao público americano, os Bin Ladens teriam de procurar o perdão e denunciar Ossama. Para agradar ao mundo árabe, onde se encontram os principais interesses financeiros da família, tal postura seria considerada uma traição.», «New York Times»
  • NOVEMBRO DE 2008   |   
  • 656 PÁGINAS   |   
  • 20x13.5 CM   |   
  • ISBN: 978-972-895-582-3
  •    |   TRAD. Paula Almeida e Paulo Salgado Moreira  
  • Estes livros também podem interessar-lhe: