Inicio\GRANTA PortugalTinta da China Brasil\
ENTRAR
ITENS: 0
TOTAL: €0
[CESTO VAZIO]
subscrever NEWSLETTER
AUTORES
Manuel Carvalho Gomes nasceu em Elvas, e foi aí que ganhou o gosto pelos espaços geográficos. Doutorou-se em Ensino da Geografia no domínio da Educação para o Desenvolvimento Sustentável e é mestre em Geografia Física e Ambiente, pela Universidade de Lisboa. Licenciou-se em Geografia pela Universidade de Coimbra. É investigador no Centro de Estudos Geográficos (CEG) da Universidade de Lisboa /...

ler mais
Manuel Casimiro nasceu em 1941. Viveu largos anos na cidade de Nice, passando por Nova Iorque, Veneza e vários países nórdicos. A sua obra abrange áreas tão diversas como a pintura, a escultura, a fotografia e o cinema. Em 1997, a Fundação de Serralves dedicou-lhe uma exposição retrospectiva. Está representado em colecções de vários museus nacionais e estrangeiros.

ler mais
Manuel João Ramos nasceu em 1960. É professor de antropologia do ISCTE - IUL e investigador em estudos etíopes no Centro de Estudos Africanos - ISCTE - IUL. Desenvolve igualmente actividade como ilustrador e ensaísta. Publicou recentemente «Traços de Viagem: Experiências Remotas, Locais Invulgares» (Bertrand, 2009), «Memórias dos Pescadores de Sesimbra» (Sociedade de Geografia de Lisboa, 2009) e,...

ler mais
(1959 - 2012) «Na sua última grande entrevista, em 2010, ao "Expresso", disse ter saudades do jornalismo. "Da maneira como o fiz", acrescentou. Começou muito cedo a fazê-lo, isso que foi o que fez. Aos 17 anos, estudante de direito na Católica, bate à porta da revista semanal "Opção" e do seu director e fundador Artur Portela (que fundara também, logo em 1975, o "Jornal Novo"). A revista é de...

ler mais
Nasceu nos Açores, e fez estudos superiores de Filosofia e História. É jornalista há quase duas décadas, tendo passado pela RTP Açores e pela TVI. Fez jornalismo de investigação em áreas como política, sociedade, economia e desporto. Foi coordenadora e chefe de redacção em jornais, revistas e rádios, tendo também editado várias publicações.

ler mais
Maria Alice Samara nasceu em Lisboa, em Abril de 1974. É investigadora do Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. O seu trabalho tem-se focado sobre diversos temas relacionados com a Primeira República, destacando-se as seguintes obras publicadas: «Sidónio Pais», Fotobiografias do Século XX (coordenação de Joaquim Vieira),...

ler mais
Maria do Rosário Pestana é professora auxiliar convidada na Universidade de Aveiro e investigadora integrada no Instituto de Etnomusicologia - Centro de Estudos em Música e Dança. Especializada em processos de folclorização e de documentação de música de matriz rural em Portugal, desenvolve actualmente estudos sobre o fado no contexto da emigração portuguesa. Coordena um projecto de investigação,...

ler mais
Maria Fernanda Rollo é doutorada em História Económica e Social Contemporânea pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (Universidade Nova de Lisboa), onde é professora no Departamento de História. É investigadora e vice-presidente do Instituto de História Contemporânea da mesma faculdade. Tem como principais áreas de investigação a história económica portuguesa contemporânea, a história da...

ler mais
Maria Filomena Mónica nasceu em Lisboa, em 1943. Licenciou-se em Filosofia na Universidade de Lisboa, em 1969, e doutorou-se em Sociologia na Universidade de Oxford, em 1978. É investigadora-coordenadora do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Colabora regularmente na imprensa. Entre outros livros, é autora de «Eça de Queirós» (Quetzal, 2001), «Bilhete de Identidade»...

ler mais
Maria Helena Trindade Lopes (Lisboa, 1957) é licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. É doutorada em História pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde lecciona desde 1981 (Civilizações Pré-Clássicas, Hebraico, Egiptologia, História Comparada das Religiões), sendo professora associada com agregação e coordenadora do Mestrado...

ler mais
Doutorada em História Institucional e Política Contemporânea pela FCSH‑UNL. Docente da Escola Superior de Comunicação Social e investigadora do Instituto de História Contemporânea, onde dirige a linha de investigação «Revolução e Democracia». É autora de vários livros, entre os quais «Os Militares na Revolução de Abril» (2006), «25 de Abril. Mitos de Uma Revolução» (2007) e «Melo Antunes....

ler mais
É investigadora do Instituto de Filosofia da Linguagem (Universidade Nova de Lisboa, Portugal), onde desenvolve actualmente o seu pós-doutoramento sobre as relações entre música e filosofia. Publicou diversos artigos sobre Nietzsche e é co-autora das obras «Nietzsche on Instinct and Language» (De Gruyter, 2011) e «As the Spider Spins, Essays on Nietzsche’s Critique and Use of Language» (De...

ler mais
Maria João Valente Rosa (Lisboa, 1961) é doutorada em Sociologia, especialidade Demografia, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde é professora no Departamento de Sociologia. Actualmente, integra o Conselho Superior de Estatística, é vice-presidente do Comité Consultivo Europeu de Estatística (CE) e é investigadora do Instituto Português de Relações...

ler mais
Maria João Vaz (Lisboa, 1963) é doutorada em História Moderna e Contemporânea pelo ISCTE. Desenvolve investigação na área da história social contemporânea, dedicando-se em particular às questões relacionadas com a história da justiça criminal e penal, os marginais, as instituições de controlo social e os movimentos migratórios. É professora no Departamento de História do ISCTE-Instituto...

ler mais
Maria José Lobo Antunes (Lisboa, 1971) é doutorada em Antropologia pela Universidade Nova de Lisboa, e investigadora do CRIA — Centro em Rede de Investigação em Antropologia.Viveu seis meses com uma companhia de circo, onde fez o trabalho de campo do seu mestrado no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Deu aulas no Departamento de Antropologia da Faculdade de Ciências e...

ler mais
Maria Madalena d´Avelar (1994) é formada em Sociologia pelo ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa. Os seus principais interesses de investigação centram-se em género e sexualidade, nascimento e saúde, e desigualdades sociais. Actualmente, é bolseira no Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES) e doutoranda em Sociologia no ISCTE.

ler mais
Doutorada em Ciências do Ambiente pela Faculdade de Ciências e Tecnologia (Universidade Nova de Lisboa, 1990); investigadora em Sociologia da Alimentação e Ambiente (Instituto Nacional de Investigação Agrária, 1976-2009); consultora da Divisão de Políticas de Alimentação e Nutrição da FAO/ONU, Roma (1980-1995); perita no Comité Scientifique des Appellations d´Origine, Indications Geographiques et...

ler mais
Maria Ribeiro nasceu no Rio de Janeiro em 1975, e é licenciada em Jornalismo pela PUC – Pontifícia Universidade Católica. Actriz de cinema e televisão, ficou conhecida do grande público pela sua participação no filme multipremiado «Tropa de Elite» (Urso de Ouro no Festival de Berlim em 2008) e na novela «Império», da rede Globo. Participou em mais de dez filmes e vinte novelas. É cronista do...

ler mais
Marie Lemonnier nasceu em 1974 e é formada em Línguas Modernas e Filosofia. É jornalista no «Nouvel Observateur», na área da cultura.

ler mais
Marília Garcia nasceu em 1979, no Rio de Janeiro. Publicou no Brasil os livros 20 poemas para o seu walkman (Cosac Naify, 2007), Engano geográfico (7Letras, 2012), Um teste de resistores (7Letras, 2014; edição portuguesa Mariposa Azual, 2015), Paris não tem centro (7Letras, 2016), Câmera lenta (Companhia das Letras, 2017; vencedor do Prémio Oceanos) e Parque das ruínas (Luna Parque, 2018). Em...

ler mais
Mário de Carvalho (Lisboa, 1944), um dos mais aclamados escritores portugueses, estreou-se em 1981 como ficcionista: «Contos da Sétima Esfera» inicia um percurso que passa pela escrita de teatro e de cinema, pela crónica e, sobretudo, pelo romance. Está editado no Brasil e traduzido em espanhol, francês, inglês, alemão, italiano, grego, búlgaro e croata. A sua obra mais conhecida é o romance...

ler mais
Mário de Sá-Carneiro nasce em Lisboa, em 1890, e morre em 1916 na cidade de Paris, para onde se mudara quatro anos antes. Num curto período de tempo, escreve uma obra fulgurante nos campos da poesia, da ficção e do drama, e um dos mais ricos epistolários de língua portuguesa, que evidencia todas as virtudes principais da sua literatura. Situada nas intersecções do pós-simbolismo e das estéticas...

ler mais
Açoriano radicado em Lisboa desde os 17 anos, Mário Mesquita é jornalista e professor de Comunicação. Aos 21 anos ingressou nos quadros do jornal «República» (1971­‑1975), aos 25 era director-adjunto e aos 28 director do «Diário de Notícias», cargo que deixou de exercer oito anos depois. No jornalismo, foi também director do «Diário de Lisboa» (1989­‑1990), colunista do «Público», do...

ler mais
Mark Lilla nasceu em Detroit (EUA) em 1956, e frequentou as universidades do Michigan e de Harvard. Foi professor nas universidades de Nova Iorque e de Chicago, e é actualmente professor de Humanidades na Universidade de Columbia. Recebeu bolsas de investigação de várias instituições, como a Fundação Rockefeller, a Fundação Guggenheim, o Institute for Advanced Study (Princeton), o Institut...

ler mais
Mark Twain foi baptizado à nascença, no ano de 1835, com o nome de Samuel Langhorne Clemens, mas esse nome ficaria para sempre na sombra do seu pseudónimo. Filho de um advogado severo, terá sido a mãe a despertar-lhe o sentido de humor, e é a ela que Twain dedica «A Viagem dos Inocentes», pela sua leitura «paciente» e «crítica caridosa». Se não há dúvida de que a sua obra é variada, mais curioso...

ler mais
Martha Gellhorn (1908‑1998) publicou cinco romances, catorze novelas e duas antologias de contos. Queria ficar para a História primeiramente como romancista, mas é recordada pela maioria das pessoas como impressionante correspondente de guerra e por algo que a deixava fula: o breve casamento com Ernest Hemingway durante a Segunda Guerra Mundial. Martha Gellhorn não tinha a mínima intenção de...

ler mais
Martin Crimp (1956, Dartford, Reino Unido) é um dos dramaturgos mais representados e traduzidos na Europa. Estudou Literatura Inglesa em Cambridge. Escreveu «Love Games», a primeira peça, em 1982. Foi dramaturgo residente no Orange Tree Theatre, Richmond, e, mais tarde, no Royal Court Theatre, onde conquistou público e notoriedade, nomeadamente com as peças «No One Sees the Video» (1990), «Getting...

ler mais
Matilde Campilho nasceu em Lisboa, em Dezembro de 1982. Estudou Literatura e História da Arte. Nos últimos anos publicou poemas em jornais portugueses e brasileiros. Traduziu o livro «Drawings», de Sylvia Plath, para português do Brasil (Editora Globo). «Jóquei» é o seu primeiro livro.

ler mais
Michel Laub nasceu em Porto Alegre, Brasil, em 1973. Escritor e jornalista, foi editor da revista «Bravo» e é colunista do jornal «Folha de S. Paulo». Escreveu seis romances — «Música Anterior» (2001), «Longe da Água» (2004), «O Segundo Tempo» (2006), «O Gato Diz Adeus» (2009), «Diário da Queda» (2011) e «A Maçã Envenenada» (2013). «Diário da Queda» foi publicado na Alemanha, em Espanha, nos...

ler mais
Mick Hume (n. 1959) é um jornalista e escritor britânico. É editor da revista «Spiked» e manteve uma coluna semanal no jornal «The Times» durante dez anos. Nos últimos anos tem-se destacado como defensor da liberdade de expressão e de imprensa, escrevendo sobre o tema no «The Times», «The Sunday Times», «The Independent» e «Sun».

ler mais
Miguel Bandeira Jerónimo é investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. A sua pesquisa centra‑se na história global e comparada do imperialismo e do colonialismo. Em 2010, publicou Livros Brancos, Almas Negras: A «Missão Civilizadora» do Colonialismo Português, c. 1870-1930. Em 2012, publicou A Diplomacia do Imperialismo. Política e Religião na Partilha de África...

ler mais
Miguel Cardina nasceu na Nazaré em 1978. Licenciou-se em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Obteve o mestrado em História das Ideologias e das Utopias Contemporâneas e o doutoramento em História Contemporânea pela mesma instituição. É autor de «A Esquerda Radical» (Angelus Novus, 2010) e de «A Tradição da Contestação. Resistência Estudantil em Coimbra no Marcelismo»...

ler mais
Miguel Cardina é investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. Coordena o projecto de investigação «CROME — Memórias Cruzadas e Políticas do Silêncio. As Guerras Coloniais e de Libertação em Tempos Pós‑coloniais», para o qual recebeu uma bolsa do European Research Council. Trabalha sobre a história política do século XX e sobre as dinâmicas entre história e memória....

ler mais
Miguel Cardoso nasceu em 1976 e cresceu nos arredores de Lisboa. Estudou alguns anos em Londres e voltou. Entre vários outros textos dispersos, publicou cinco livros de poesia: «Que Se Diga Que Vi como a Faca Corta» (Mariposa Azual, 2010), «Pleno Emprego» (Douda Correria, 2013), «Os Engenhos Necessários» (&etc, 2014), «Fruta Feia» (Douda Correria, 2014) e «À Barbárie Seguem-se os Estendais» (&etc,...

ler mais
Miguel Tamen é professor (e director do Programa em Teoria da Literatura) na Universidade de Lisboa. Foi professor visitante na University of Chicago, e «senior fellow» no Stanford Humanities Center e no National Humanities Center. Escreveu, entre outros, os livros «Friends of Interpretable Objects» (2001; tradução portuguesa: «Amigos de Objectos Interpretáveis«, 2003), «Artigos Portugueses»...

ler mais
Miguel-Manso nasceu em Santarém, em 1979. Viveu em Almeirim e em Lisboa. Hoje mora numa aldeia do concelho da Sertã. Estreou-se em 2008 com o livro «Contra a Manhã Burra» (edição do autor) e fez sair no mesmo ano «Quando Escreve Descalça-se» (edição Trama Livraria); «Santo Subito», de 2010 (edição do autor), pertence, como os anteriores, à colecção Os Carimbos de Gent, à qual acrescentou outros...

ler mais
O filósofo e escritor Charles-Louis de Secondat, mais conhecido como Montesquieu, nasce a 18 de Janeiro de 1689, perto de Bordéus.Em 1716, o seu tio Jean-Baptiste, barão de Montesquieu, morre e deixa ao sobrinho o seu património e o seu título, para além do cargo de presidente do Parlamento de Bordéus. Montesquieu, então com 27 anos, dedica-se a exercer funções judiciais, a gerir as suas...

ler mais
Mustafah Dhada nasceu em Buzi, Moçambique. Estudou na Universidade de Sussex e doutorou-se no St. Catherine’s College, na Universidade de Oxford, com uma investigação sobre a história colonial portuguesa em África. Actualmente, é professor de História de África e do Médio Oriente na California State University, e ensina Narrativas Coloniais e Pós-Coloniais no Centro de Estudos Sociais da...

ler mais